Sítio do Picapau Amarelo (2004) – O Pequeno Samurai: Parte 7

Enterrado vivo…

ESTOU AMANDO AS REVIRAVOLTAS DE “O PEQUENO SAMURAI”. Takeshi-san quer impedir Pedrinho de conquistar a Espada do Sol Nascente, para que o Império das Sombras possa triunfar, mas ele tem que enfrentar uma série de imprevistos no meio do caminho – acho interessante como o personagem do Takeshi-san alterna entre momentos assustadores de grande poder e momentos em que ele é temporariamente derrotado. Primeiro quando ele perdeu o anzol dourado e o leque, por exemplo, e acabou no caldeirão da Cuca, apenas para pouco depois retomar todo seu poder e voltar mais perigoso do que nunca… agora, ele prendeu Emília e, quando o samurai invencível, Musashi, veio ao seu auxílio, Takeshi também o derrotou usando golpes baixos e Musashi está preso ao lado da bonequinha de pano, com o risco de perder sua armadura de invencibilidade…

Enquanto isso, Emília não recebe o resgate que esperava – ela está chorando e querendo que alguém venha ao seu socorro, mas todos no Sítio do Picapau Amarelo estão muito preocupados com o Pedrinho, que começou a sentir dores estranhas e está com o corpo todo picado: isso porque a Cuca fez um boneco de vodu do garoto, usando uma mecha do seu cabelo, e agora ele está sofrendo de uma dor ininteligível em sua cama… é cruel e um tanto quanto pesado, até que o Saci acabe indo à caverna da Cuca e, sem querer, descobre que o que ela está fazendo com o Pedrinho… felizmente é fácil de provocar a Cuca e fazê-la cair em uns truques bem tontos, então o Saci consegue resgatar o boneco de vodu para que a Cuca não continue fazendo o Pedrinho sofrer, mas isso, por si só, não acaba com toda a dor que ele já está sentindo… coitado do Pedrinho.

Enquanto isso, Takeshi-san consegue roubar a armadura de invencibilidade de Musashi, e ele continua com o seu plano de enterrar a Emília viva para se livrar dela (“É seu fim, bonequinha!”), mas Emília acaba conseguindo enganar o Takeshi-san, mais ou menos do mesmo jeito que todo mundo sempre faz com a Cuca… ela diz que ele pode enterrá-la e ela vai conseguir sair porque tem um pouco de pó de pirlimpimpim no bolso, então ela fala sobre as maravilhas do tal pó mágico, e Takeshi cai direitinho, como a Cuca faria… quando ele rouba o pó de pirlimpimpim e joga sobre si mesmo, Emília diz que ele esqueceu de desejar para onde ir, por isso ela faz isso por ele, e o manda direto para dentro do buraco que ele cavou para enterrá-la, e quem acaba enterrado vivo é o próprio Takeshi-san. Por ora, isso é o suficiente, e anula todos os feitiços de Takeshi, como da última vez…

Inclusive o domínio sobre Angico e Zequinha.

Visconde é quem identifica que o boneco que a Cuca fez do Pedrinho é mesmo um boneco de vodu, mas ele não sabe o que fazer para salvar o Pedrinho, porque não entende nada sobre isso… e, na verdade, quem acaba salvando o Pedrinho é o Eiji, como ele sempre quis fazer, dizendo com convicção que “daria sua própria vida pela do seu mestre”, e quando ele diz isso, ele desmaia. Eiji passa mal, começa a sentir as dores que eram do Pedrinho, e o Pedrinho desperta, sem sentir mais nada – Eiji realmente conseguiu assumir toda a dor que era de seu mestre… preocupada, Dona Benta chama um médico imediatamente, mas como ele ainda vai demorar para voltar, Emília, que acabou de chegar, diz que vaio resolver as coisas do jeito dela, e chama alguém que pode ajudar o pequeno samurai: a fada Dori. Felizmente, ela consegue salvar a vida do Eiji, e Pedrinho não precisa mais se sentir culpado…

Depois de Emília salvar Musashi (ou “Mostarda”, como ela o chama), ele diz que deve sua vida a ela e, por isso, vai ser seu novo samurai e fazer tudo o que ela pedir… e é claro que a bonequinha abusa, pedindo para ele ir ao arraial comprar uma agulha de costura, por exemplo, porque tudo o que Emília sempre gostou de fazer é mandar nas pessoas. Infelizmente, o delegado preconceituoso acaba mandando prender o Musashi o acusando de ser o ladrão de gado que roubou a Vaca Mocha… mesmo que não seja. Felizmente, a Vaca Mocha acaba sendo resgatada! Zé Carijó sai em busca de sua melhor amiga e acaba sendo preso pelos bandoleiros, mas consegue enganar a Lagarta e fugir… depois, sabendo onde a Vaca Mocha está, Emília vai até o acampamento oferecendo uma troca: ela lhes dá o mapa do tesouro em troca da vaca de volta.

E, como sempre, os manda direto para a caverna da Cuca!

Mas os bandoleiros ainda vão dar trabalho… uma visita à caverna da Cuca não vai resolver o problema, até porque a Cuca está disposta a deixá-los irem embora porque também está interessada no tesouro. Assim, Lagarta vai ao Arraial dos Tucanos com um recado de João Tário, dizendo que eles vão botar fogo no arraial se eles não entregarem o pote de ouro. O Coronel Teodorico, que recebe a mensagem pessoalmente, corre para chamar todo mundo e contar a “novidade” na pensão da Dona Joaninha, e então o desespero começa… e quem pode resolver isso é a Emília (!), que estava por lá para salvar o Musashi e tirá-lo da cadeia depois de ele ter sido preso injustamente. Ela se intromete na conversa dos adultos sobre o ataque dos bandoleiros e diz que seu samurai pode defender o arraial dos bandidos… para isso, no entanto, ele precisa ser solto.

É uma dificuldade imensa para soltá-lo, mesmo quando o Coronel Teodorico retira a acusação contra ele, porque o delegado está se sentindo desautorizado e menosprezado, porque ele deveria defender o arraial… então, Emília manda o Saci ir até o Sítio buscar o Zé Carijó, e o depoimento do Zé Carijó inocenta o Musashi de uma vez por todas em uma espécie de tribunal improvisado na pensão da Dona Joaninha. Com o Musashi solto, ele diz que o pedido de Emília é uma ordem e, por isso, ele vai proteger o arraial: mas ele precisa da sua armadura, que foi enterrada com o Takeshi-san. “Não tem jeito, nós vamos ter que desenterrar aquele cara de coruja seca do Tomate-san e pegar de volta a armadura do meu samurai”. Então, Takeshi-san está livre e, na verdade, não chega nem a ser desenterrado, porque ele alcança o leque mágico e se solta sozinho…

Com a espada mágica, Pedrinho vence o Takeshi-san, que desaparece e deixa para trás a armadura de Musashi… o que quer dizer que ele poderá defender o arraial como Emília pedira. Mas Takeshi-san estará de volta.

E muito rápido!

 

Para mais postagens sobre o Sítio do Picapau Amarelo, clique aqui.

Ou visite nossa página: Cantinho de Luz

 

Comentários