Power Rangers Wild Force – The End of the Power Rangers: Part 2

“We swore to protect the Earth. We can’t give up now!”

QUE CONCLUSÃO EMOCIONANTE. “Wild Force” é uma excelente temporada de “Power Rangers” – mesmo com problemas seriíssimos de atuação, a temporada se sustenta tendo uma das histórias mais interessantes e bem-escritas da franquia, com arcos muito bons se sucedendo e produzindo uma temporada consistente. “The End of the Power Rangers: Part 2”, exibido em 16 de novembro de 2002, junto à Parte 1, foi pensado como a conclusão de “Power Rangers”, como o próprio nome do episódio sugere, antes que a produção da série fosse transferida para a Nova Zelândia e uma nova era se iniciasse… assim, ganhamos um episódio bastante emotivo e bem com cara de final, com direito até a um Epílogo que é um pouco brega, mas, de todo modo, me fez ficar com lágrimas nos olhos – vou ficar com saudade dessa temporada. Que bom que ela é sucedida por “Ninja Storm”, e eu ADORO “Ninja Storm”.

No episódio passado, os Rangers se viram praticamente sem esperanças… depois de terem acreditado que tinham destruído todos os Orgs e que sua batalha tinha chegado ao fim, eles são surpreendidos por uma nova versão do Mestre Org, mais poderosa do que nunca, e é muito rápido para que eles percebam que não poderão vencer essa batalha da mesma maneira como fizeram até agora… os Wildzords são todos destruídos, um por um, e os Rangers perdem seus poderes de Rangers, o que quer dizer que eles são meros humanos frente a um Org gigante e poderoso, e eles não sabem bem como podem detê-lo – quando Animarium cai de volta na Terra, ocupando o espaço que deixou vazio há muito tempo, no entanto, os Rangers sabem que precisam fazer alguma coisa… afinal de contas, eles prometeram que protegeriam a Terra, e não vão parar agora.

“Never give up”

É uma sequência ELETRIZANTE. Bastante escura de se ver, a cena conta com a Terra coberta em escuridão, chuva e Rangers não-morfados lutando molhados – e temos até uma cena do Cole rasgando a camisa no melhor estilo Leo, de “Lost Galaxy”, mas dessa vez estava escuro demais, diferente da cena com Leo. É de arrepiar o momento em que Cole diz ao Mestre Org que eles podem não ter mais seus poderes de Power Rangers, mas que eles continuam sendo Rangers em seus corações ou qualquer coisa assim, então ele puxa uma “chamada” como vimos várias vezes durante a temporada – dessa vez, no entanto, os Rangers não estão morfados, e é um máximo ver os atores anunciando seus nomes, seus poderes e fazendo a pose de Power Ranger… é um momento muito épico que marca “Power Rangers Wild Force” – e é o momento em que os Wildzords retornam.

Foi muito bonito ver o retorno dos Wildzords, como orbes de luz e energia que chegam atacando o Mestre Org, e então reencontramos os Wildzords que perdemos no episódio passado, e conhecemos brevemente alguns que nunca chegamos a ver, como a Arraia, o Pavão… e então os Rangers recuperam seus poderes, com os quais conseguem destruir o Mestre Org e, depois, o Coração que o está mantendo vivo – “The Power Rangers are back. Stronger than ever”. E, assim, a jornada dos Rangers Força Animal chega ao fim, com um discurso da Princesa Shayla anunciando que vai levar Animarium e os Wildzords de volta para o céu, onde eles estarão em segurança “até que a Terra precise deles novamente”. Ela pede que eles entreguem de volta seus morfadores (o que faz sentido) e as suas jaquetas (o que é totalmente desnecessário, é sério… pra quê devolver as jaquetas?!).

E, então, a Princesa Shayla vai embora (e nos livramos de sua vergonhosa atuação).

“Goodbye, my friends”

O finalzinho do episódio funciona mais ou menos como um EPÍLOGO, aquela parte do fim de filmes que nos conta “onde os personagens estão agora”. Foi bem bacana… vemos Cole visitar o túmulo dos pais levando flores para eles, e ele também deixa uma flor para o Dr. Adler, esperando que ele finalmente encontre paz; vemos Taylor retornar para as forças aéreas, e foi muito bonito vê-la voando o mais alto que pode para estar próxima, novamente, da sua Águia Amarela; vemos Max e Danny, que saíram juntos viajando pelo mundo, tirando foto em todos os lugares pelos quais passaram e mandando cartões postais para Alyssa; Alyssa, por sua vez, é quem está contando essa história, para crianças que agora são seus alunos e não têm ideia de que a história que ela conta não só é real, como sua professora é a antiga Ranger Branca da Força Animal.

A última cena de Alyssa e a foto na mesa dela me deixou todo emotivo…

Um belo final. Agora, que venha “Ninja Storm”.

 

Para mais postagens de Power Rangers Wild Force, clique aqui.

 

Comentários