Sítio do Picapau Amarelo (2004) – D.A.N.C.E.: Parte 1

A banda D.A.N.C.E. chegou!

Novamente, a sensação de recomeço no “Sítio do Picapau Amarelo”. Essa já é a segunda história da temporada, mas é a primeira que se passará inteiramente no Sítio de Dona Benta ou no Arraial dos Tucanos, e “D.A.N.C.E.” apresenta alguns elementos que ficarão aí durante todo o restante da temporada, e na temporada seguinte, “O Preço do Verdadeiro Amor”, como a Joaninha e a sua pensão, a nova casa do Coronel Teodorico e os seus netos, Angico e Zequinha. Depois que Jajale voltou para a Amazônia, dessa vez com o avô, as crianças leem um jornal que encerra “A Menina da Selva” ao mesmo tempo em que inicia “D.A.N.C.E.” – eles leem uma matéria sobre um prêmio de preservação ambiental que o hotel de PPA ganhou e, logo em seguida, uma matéria que diz que a famosa banda D.A.N.C.E. está vindo ao Arraial dos Tucanos para gravar um videoclipe.

E as crianças ficam eufóricas.

Segundo a matéria no jornal, a banda está procurando um lugar tranquilo para gravar um clipe, e os integrantes da banda acabam chegando um dia antes, para tentar despistar os fotógrafos que os aguardam… sem muito sucesso. Diana, interpretada pela Wanessa Camargo, é a primeira que vemos chegar, bem no meio de uma procissão no Arraial, vestida de freira para não ser reconhecida pela imprensa. Enquanto isso, o pessoal do Sítio chega na venda do Seu Elias, em um diálogo bem interessante que nos apresenta os novos elementos: como a Pensão Pão-Doce, que a Dona Joaninha está abrindo agora, e eles também já nos informam que ela é fuxiqueira e está sempre correndo atrás do Coronel Teodorico… segundo Emília, eles até que seriam um casal perfeito: o Fuxico e a Fuxiqueira. E a Joaninha é uma verdadeira insuportável, né?

As crianças ficam animadas com a possibilidade de a banda D.A.N.C.E. já ter chegado no Arraial (“Será que a Diana já tá aqui no arraial mesmo?”), e mal sabem eles que, para não ser encontrada, ela se esconde na carroça do pessoal. Enquanto isso, os demais membros da banda também chegam, cada um com suas artimanhas para escapar da imprensa – entre eles, os perversos Elvira e Geninho, vilões dessa história. O grupo se hospeda na Pensão Pão-Doce, e então a Dona Joaninha que adora dizer que “odeia fofoca” e que “não gosta de se meter na vida dos outros”, mas “que viu, viu”, conta para eles que viu a tal da “freirinha” na rua. A sequência também mostra a maneira como Joaninha é pão-dura, dizendo que são eles que vão pagar a ligação dela pro Coronel Teodorico para perguntar da freira. E, principalmente, mostra a motivação dos vilões:

Elvira quer roubar o lugar da Diana na banda!

Enquanto isso, Diana é descoberta no Sítio do Picapau Amarelo pelo Zé Carijó, e Narizinho é a primeira a reconhecê-la: “Não tá reconhecendo, não, Emília? É a Diana, da banda D.A.N.C.E.!” As crianças são A COISA MAIS FOFA, agindo como verdadeiros fanboys, e é assim que a maioria das pessoas se comportaria em frente a um ídolo mesmo… Diana é bem acolhida no Sítio, come os famosos bolinhos da Tia Nastácia, mas ela fala sobre ter que voltar para o Arraial porque “as meninas da banda devem estar preocupadas, especialmente a Elvira”. No início, eu até achei que era uma inocência e tudo o mais, mas Diana é a típica protagonista tão tapada que nem dá para torcer tanto para ela… tudo é tão evidente e ela simplesmente não vê, insistindo em dizer, por exemplo, que “confia em Elvira cegamente”. Uma frase errada em todos os sentidos.

E quase em qualquer situação!

Quando Diana volta para o Arraial, as crianças a acompanham, e conhecem as meninas da banda, Alice e Estela, além de Elvira e Geninho, o diretor do clipe que vão gravar, e Emília não gosta muito da Elvira, já de cara… a intuição da bonequinha de pano nunca falha. Além de Elvira querer se desfazer de Diana e roubar seu lugar na D.A.N.C.E., ela ainda proibiu Diana e as outras meninas a falarem com Elvis McCartney, o empresário da banda e NAMORADO de Diana, sem dar nenhum tipo de explicação. Além disso, Geninho e Elvira ainda tomaram os celulares das meninas da banda, e é sério que ninguém desconfia dessa história? Tudo é muito estranho e suspeito. Na primeira semana da história, o personagem interpretado pelo Supla não chega a aparecer por ali, mas Tia Nastácia vê uma foto dele com Diana no jornal, e Diana tenta falar com ele pelo telefone, sem sucesso.

Durante “D.A.N.C.E.”, a música “Me Engana Que Eu Gosto”, da Wanessa Camargo, é tocada várias vezes, e eu me lembro DO QUANTO EU OUVI ESSA MÚSICA NA ÉPOCA! A ouvimos pela primeira vez quando Pedrinho aparece todo fofo, abraçado com o CD da banda, e então ele o coloca para tocar… a cena é muito bonitinha, e conta com Narizinho e Emília dançando (a Isabelle Drummond estava ÓTIMA!) e se divertindo, o Visconde dançando todo desengonçado, o Pedrinho abraçado com a Tia Nastácia, e a Dona Benta curtindo a música e balançando a cabeça no ritmo, mas sem deixar seu tricô de lado… Pedrinho está completamente apaixonado, e eu acho isso tão fofo, porque representa tão bem o AMOR PLATÔNICO… quem nunca, né? As crianças até tentam fugir durante a noite para ir para o Arraial dos Tucanos e ver a Diana de novo, mas são surpreendidos por Dona Benta.

“Onde vocês pensam que vão?”

“O que a senhora está fazendo acordada até essa hora, Dona Benta?”

Em paralelo, acompanhamos uma história que não parece interferir muito na trama da banda D.A.N.C.E., mas que é importante para a temporada: a chegada de Angico e Zequinha. O Coronel Teodorico recebe um telegrama de Miloca, sua filha mais velha, anunciando que o Angico e o Zequinha, seus netos, estão indo para a casa dele, e embora ele goste de dizer que “eles são dois lordes, educados nas melhores escolas”, os dois são duas pestes irritantes. Não gosto muito dos personagens na temporada de 2004, porque os acho extremamente caricaturados e forçados, mas eles têm um amadurecimento legal por parte do roteiro em 2005… no próximo ano, Zequinha se tornará, de fato, um lorde, todo romântico e bonzinho, enquanto o Angico penderá de vez para o lado da vilania, mas com mais propriedade e de maneira menos infantil e exagerada.

Sinceramente, o que mais me incomoda em Angico e Zequinha é a maneira como o Coronel Teodorico os trata, e a verdade é que O CORONEL TEODORICO É UM PERSONAGEM DE QUEM NUNCA GOSTEI. Ele é um péssimo pai permissivo, ele é interesseiro, possivelmente mau-caráter e extremamente burro – ainda se fosse inteligente. Mas não. Ele é facilmente enganado por qualquer um. Agora, enquanto ele fala sobre a educação maravilhosa de seus netos (?), vemos Angico e Zequinha causarem confusão atrás de confusão, de uma forma tão exagerada e corriqueira que nem parece real. Eles já chegam causando confusão no ônibus com um extintor de incêndio, depois eles pulam no sofá do avô, jogam frutas pela casa, andam de bicicleta no meio da sala, quebram vasos, roubam a dentadura da Dona Joaninha… e o Coronel Teodorico acha tudo lindo.

O que mais me dói é que existem tantos pais e avôs como o Coronel Teodorico!

De certa forma, eu também entendo essa parte do Angico e do Zequinha como uma crítica, porque o Coronel Teodorico insiste tanto que “eles foram educados nas melhores escolas”, e dá para ver claramente que ISSO NÃO SIGNIFICA NADA. Eventualmente, Teodorico leva os netos para o Sítio de Dona Benta, para pedir sua ajuda, porque “eles têm muita energia”, mas a verdade é que eles nunca vão ser melhores como um avô como ele… ele louva todas as suas ações, ele não acredita no motorista do ônibus, por exemplo, que garante que não houve fogo nenhum, e ainda conta a todos a história como se seus netos fossem “grandes heróis”, e quando os meninos dão um banho de água nele e na Dona Joaninha, ele resolve recompensá-los com presentes como computadores, um para cada um, e um videogame, e quando eles roubam as calças do Tio Barnabé e Dona Benta dá uma bronca neles, Teodorico os defende, dizendo que “eles não fazendo nada de mal, foi só uma brincadeira inocente”.

Coronel Teodorico é patético.

Eu sei que é um programa infantil e não devia me incomodar tanto com ele…

…mas não dá, eu o detesto.

“Pois tratem de brincar de outra coisa, porque não é incomodando os outros que vocês têm que se divertir! Ora!”

Depois que Diana não consegue ligar para Elvis porque Elvira e Geninho cortaram os fios do telefone, e de não conseguir sair para buscar outro telefone porque os dois trancaram a porta do quarto, Diana consegue a ajuda de Alice para escapar com uma corda de lençóis, e então ela vai para o Sítio do Picapau Amarelo, pedir a ajuda de seus novos amigos, mas Elvis McCartney não atende ao seu telefonema… e, agora, Diana vai ter que se preocupar com algumas outras coisas, e não é apenas a Elvira tentando roubar o seu lugar – até porque isso ela se recusa a ver. Geninho e Elvira aparecem no Sítio para “estragar a festa”, e Elvira vem com um papinho furado e a chamando de “amiga”, e a convence de que falar com Elvis não é a melhor ideia e tudo o mais. Ela até tenta nocautear a Diana, mas Emília e Zé chegam e impedem, e a Diana acredita em qualquer desculpa esfarrapada que ela dá.

“A Elvira é de total confiança. Eu confio nela cegamente”

Quando criança, não lembro se eu peguei birra disso tudo… mas assistindo novamente agora, sei lá. Não dá para defender uma personagem tão TAPADA quanto a Diana, né? A Jajale era muito mais inteligente que isso… quando Diana vai com as crianças passear na mata, para conhecer o capoeirão onde o clipe será gravado, ela canta um pouquinho com eles, e ela acaba chamando atenção. Diana está lá, em cima de uma árvore com um serrote na mão, pronta para “causar um acidente”, mas ela não consegue fazer nada porque o Saci aparece, maravilhado com a cantoria, e Elvira se assusta e cai da árvore, com serrote e tudo, e adivinha? Diana acredita nas suas mentiras descabidas de que “ela estava na árvore para procurá-la melhor” e que “estava com o serrote para se defender dos bichos da mata”. Da primeira vez, até tudo bem, agora essa desculpinha?

Acreditar nisso é subestimar a inteligência de qualquer um.

Além do Saci, a Cuca e a Iara também escutam a cantoria… e não gostam muito disso. A Cuca não gosta da barulheira, e diz que “detesta artistas”, por isso “vai ficar de olho nessa cantorazinha”. A Iara, por sua vez, fica brava porque Diana canta bem – “Não acredito! Deve ser uma sereiazinha enxerida querendo pegar o meu lugar!” E o Saci não ajuda nada dizendo para ela que “a voz da Diana é a mais bonita que já ouviu” e que “a voz da Iara também é bonitinha”. Conversando com o espelho (novo recurso dessa temporada), Iara se aconselha a roubar a voz de Diana… e é exatamente o que a Cuca está pensando em fazer, só para “dar uma lição” na Diana, porque, segundo o Pesadelo, isso de “transformar as pessoas em sapo” já está batido. Mas, por ora, as duas não vão se ajudar… Cuca nunca daria o braço a torcer e simplesmente ajudaria a Iara.

De qualquer modo, alguém vai roubar a voz da Diana!

Com música e tudo!

 

Para mais postagens sobre o Sítio do Picapau Amarelo, clique aqui.

Ou visite nossa página: Cantinho de Luz

 

Comentários