Os Rangers e os Zords de “Power Rangers Beast Morphers”

“[…] with Beast Morphin’ Might!”

“Power Rangers Beast Morphers” traz uma equipe formada por jovens, mas não por adolescentes na escola, como em “Mighty Morphin” ou “Ninja Steel”: são jovens recém-formados na escola e que estão tentando encontrar seu lugar no mundo – ou na Grid Battleforce. “Beast Morphers” é uma daquelas temporadas que começam com apenas três Rangers principais, mas não acho que ela seja um grande marco no desenvolvimento de seus personagens por isso. A equipe é carismática, acho que Devon é um ótimo Ranger Vermelho, e eu adoro a Zoey, a melhor Ranger da temporada, mas é tão difícil aguentar a (falta de) atuação de Ravi, sinceramente… quer dizer, o cara é lindo, o que nos distrai um pouco, e acho que ele é o personagem mais rico e interessante da temporada (!), mas ainda assim é difícil não perceber que ele não sabe o que está fazendo, e isso meio que quebra um pouco a magia do personagem pra mim.

De qualquer maneira, eu acho que a equipe funciona bem junta – eles se entendem, se respeitam, se ajudam e sabem trabalhar em equipe. Destaco o fato de a maior parte da ação da temporada acontecer em dois espaços que são, deliberadamente ou não, referências a temporadas antigas e clássicas de “Power Rangers”: primeiro, temos a Grid Battleforce, cujos corredores cinzas e tecnológicos nos remete a temporadas como “In Space”, “Lost Galaxy” e até “Lightspeed Rescue”, onde tínhamos toda aquela instalação subaquática de que eu gostava bastante. Estar nos corredores da Grid Battleforce me faz pensar nesses tempos da franquia; em segundo lugar, temos a Riptide Gym, que é o lugar onde os Rangers se encontram socialmente, para tomar algo ou treinar artes marciais, em um cenário que nos remete demais ao Youth Center da Alameda dos Anjos.

Isso faz com que “Beast Morphers” tenha, de certo modo, um tom nostálgico

Mas vamos aos Rangers!

 

Red Beast Morpher Ranger – Devon Daniels

Interpretado por Rorrie D. Travis, Devon Daniels é um excelente Ranger Vermelho. No início de “Power Rangers Beast Morphers”, ele não devia ser o Ranger Vermelho, posição que seria ocupado por Blaze, mas como os computadores da Grid Battleforce acabam sendo atacados por Evox e Blaze acaba virando um “avatar do mal”, Devon assume o lugar do Ranger Vermelho para poder proteger o laboratório e a Morph-X das forças do mal. Gosto bastante de Devon, e eu acho que ele tem um bom desenvolvimento durante a temporada, com destaque para a sua relação com o pai, que é o prefeito de Coral Harbor, e que tem grandes expectativas e cobranças para ele, sem saber a importância do que o filho está fazendo sendo o Ranger Vermelho que defende a cidade… graças ao DNA animal que ele usa para se transformar em Power Ranger, Devon ganhou a velocidade da chita/guepardo. Seu Beast Bot é o Cruise e seu zord pessoal é o Beast Racer Zord.

 

Blue Beast Morpher Ranger – Ravi Shaw

“Interpretado” por Jazz Baduwalia, Ravi é o único do trio de Power Rangers que não virou um avatar no ataque de Evox no primeiro episódio e, portanto, pôde seguir sendo o Ranger Azul – assim, ele é o único do trio que de fato tinha treinamento para a posição que assume. Filho da rigorosa Comandante Shaw, Ravi tem um lado artístico que ele tenta esconder a qualquer custo, porque a mãe acredita que a arte vai distraí-lo da sua função como defensor da cidade, e ele tem, também, um romance proibido com Roxy, aquela que originalmente seria a Ranger Amarela e acaba se tornando um avatar – se o romance já era complicado por causa das regras da Grid Battleforce que proibia o relacionamento entre funcionários, tudo se torna ainda mais complicado quando a verdadeira Roxy fica desacordada e uma cópia dela trabalha para Evox e Scrozzle. Graças ao DNA animal que ele usa para se transformar em Power Ranger, Ravi ganhou a força do gorila. Seu Beast Bot é o Smash e seu zord pessoal é o Beast Wheeler Zord.

 

Yellow Beast Morpher Ranger – Zoey Reeves

Interpretada por Jacqueline Scislowski, Zoey é facilmente A MELHOR RANGER DESSA EQUIPE. Assim como Devon, ela não ocupava originalmente o cargo de Ranger Amarela, mas quando Roxy foi atacada por Evox, ela acabou vindo à frente para fazer o que precisava ser feito naquele momento – Zoey é curiosa, determinada e corajosa, e é isso o que faz com que ela seja uma excelente Ranger Amarela. Eu adoraria poder acompanhar mais episódios centrados em Zoey, mas temos vários bons episódios com ela, em especial aqueles que desenvolvem sua relação com a mãe, uma jornalista que, em algum momento, quase revela a identidade dos Power Rangers, mas que acaba ouvindo a filha, mesmo sem saber que ela é uma Power Ranger, e não divulgando a notícia no último minuto. Jacqueline Scislowski é a melhor atriz da temporada e sua personagem é carismática e inteligente, não tem como não amá-la. Graças ao DNA animal que ela usa para se transformar em Power Ranger, Zoey ganhou a agilidade do coelho. Seu Beast Bot é o Jax e seu zord pessoal é o Beast Chopper Zord.

 

Gold Beast Morpher Ranger – Nate Silva

Interpretado por Abraham Rodriguez, Nate é um personagem que conhecemos desde o início da temporada: um dos cientistas da Grid Battleforce, sempre envolvido em invenções para os Power Rangers, e amigo de Devon, Ravi e Zoey. Embora ele não tenha o mesmo carisma e o mesmo desenvolvimento de Cam, de “Ninja Storm”, eu acho que o conceito do personagem é bem parecido: ele é um cientista que acaba ganhando poderes e precisa provar que também pode ajudar na luta contra os vilões fora do seu laboratório. A primeira transformação de Nate em Power Ranger é bem interessante e acontece enquanto ele está impedindo Scrozzle de trazer Evox para o nosso mundo – uma estreia e tanto. O DNA animal que Nate usa para se transformar é o de um louva-a-deus (provavelmente a primeira vez na franquia que o animal é utilizado) e seu zord pessoal é o Beast Wrecker Zord.

 

Silver Beast Morpher Ranger – Steel

Com voz de Jamie Linehan, Steel é um personagem com uma origem interessante e um carisma surpreendente para um personagem que precisa nos conquistar apenas com a voz. Ele foi construído como um robô que Scrozzle pretendia usar como corpo de Evox ao trazê-lo da Cyber Dimension para esse mundo, mas Nate, que estava sequestrado para esse trabalho, conseguiu enganar os vilões e, de quebra, ainda conseguiu algo a mais: deu vida a Steel emprestando parte do seu DNA e de DNA animal que é o que transformou todos os Rangers da temporada em Rangers. Assim, Steel se tornou parte humano, parte robô e, consequentemente, uma espécie de irmão de Nate. Os dois formam uma dupla interessante e entregam boas histórias. Com o DNA do escaravelho, Steel se transforma no Ranger Prata e seu zord pessoal é o Beast Jet Zord.

 

Os MEGAZORDS

Diferente de outras temporadas em que os zords individuais dos Rangers são pouco utilizados a não ser na formação do Megazord, “Beast Morphers” até que usa bastante os principais zords dos personagens, até porque eles podem assumir a forma dos animais em que os poderes dos Rangers são baseados. O Beast Racer Zord, de Devon, por exemplo, além de ser usado algumas vezes no seu modo chita, é constantemente visto lutando sozinho, num Battle Mode bem bonito! Juntos, os três zords principais formam o Beast X Megazord. Depois, os zords individuais de Nate e Steel, o Beast Wrecker Zord e o Beast Jet Zord, se unem formando o Striker Megazord. Por fim, estreando só no fim da primeira temporada, a união de todos esses zords e Megazords forma o incrível Beast X Ultrazord, usado em uma batalha importante na Cyber Dimension.

A segunda temporada de “Beast Morphers” traz uma série de novidades no quesito Megazords, a começar pelo Beast X King Zord, um visual que me faz pensar um pouco nos Wildzords de Animarium, talvez a ideia da temporada seja justamente essa “referência”, assim como a Riptide Gym nos remete ao Youth Center de “Mighty Morphin”. Com o Beast X King Zord, os Rangers formam, também, o Beast X King Megazord e o Beast X King Ultrazord e uma formação inusitada, criativa e empolgante: o Dino Charge Megazord. Eu gosto de como “Beast Morphers” consegue, em alguns quesitos, parecer quase uma temporada de aniversário, mas acho que era apenas a Hasbro começando a assumir a franquia e querendo brincar com o que já tinha sido feito nos anos de história que “Power Rangers” carrega. É uma tendência que ela manterá em “Dino Fury”, e que eu adoro.

 

Agradecimento ao DeviantArt do Camo-Flauge (onde encontrei as fotos dos Rangers morfados e dos Beast Bots para usar no meio da postagem). Visitem, tem imagens MUITO BONITAS de Power Rangers!

 

Para mais postagens de “Power Rangers Beast Morphers”, clique aqui.

 

Comentários