Power Rangers Wild Force – Reinforcements from the Future: Part 2

“It’s a miracle!”

QUE SAUDADE DE “TIME FORCE” – eu poderia assisti-los em “Wild Force” por episódios a fio, mas, como comentei no meu último texto, fico muito contente por “Reinforcements from the Future” conseguir avançar na trama de “Time Force” mesmo fora de sua temporada, porque podemos ver um pouquinho mais de Jen e Wes, por exemplo, uma confirmação do romance entre Lucas e Nadira e, é claro, um final inesperado para Ransik. A Parte 2 do episódio foi exibida em 03 de agosto de 2002, e traz muito mais cenas de ação do que a Parte 1, da semana anterior, o que me faz agradecer ao fato de o episódio ter sido dividido em duas partes… a ação é sempre um elemento importante em “Power Rangers”, especialmente no encontro entre equipes, e apenas 20 minutos não teriam sido o suficiente para desenvolver uma história e para conter toda a ação desejada.

A história do crossover traz três Mut-Orgs, monstros que são meio mutantes e meio orgs, e que nem os Rangers Força Animal nem Wes e Eric parecem capazes de vencerem sozinhos… felizmente, Jen faz uma aparição no finzinho do episódio para salvar a vida de Wes, mas eles vão ter que pensar em algo para vencer esses monstros – e aceitarem toda a ajuda que puderem conseguir. Circuit faz o seu retorno ao conversar com os Rangers em Animarium, anunciando que reforços estão vindo do futuro, e então estamos de volta à praia que visitamos tantas vezes em “Time Force”, agora para receber os demais Rangers da Força do Tempo: Trip, Lucas e Katie. É um momento breve de reencontros e abraços felizes, até que Jen se depare com quem veio do futuro com eles: Ransik e Nadira. A rivalidade criada entre os Power Rangers e Ransik na temporada passada ainda é palpável.

Ransik é, de longe, um dos vilões mais bem construídos da história de “Power Rangers”. Ele tinha uma história de fato, ele teve uma conclusão interessante na própria temporada, e agora ele tem a chance de retornar na temporada seguinte e não como os vilões às vezes retornam, buscando vingança ou qualquer coisa assim – Ransik está ali, de fato, para ajudar os Power Rangers, e tudo soa muito convincente, porque o texto é bem-escrito. Ransik diz que está ali para consertar um erro do passado, e Cole escuta o seu coração e diz a Jen que ele está dizendo a verdade, então Jen se dispõe a escutá-lo, em Animarium. Ransik conta a sua história de como foi ele quem encontrou os três orgs e os liberou, no futuro, e como eles copiaram o seu DNA mutante e se transformaram nesses Mut-Orgs… agora, Ransik acredita que pode ajudar a destruí-los.

Foi incrível ver a Jen dando esse voto de confiança a Ransik!

Assim, o episódio caminha para uma sequência interessante que é a dos membros das equipes se misturando e trabalhando juntos… quando o Mestre Org e os Mut-Orgs decidem poluir a cidade ou qualquer coisa assim, indo a uma usina elétrica, os Rangers Força do Tempo, Força Animal e Ransik e Nadira seguem para tentar impedir. Gostei dos team-ups que se formam aqui: temos Taylor e Katie ao lado de Eric; Alyssa trabalhando com Jen, e as duas estavam incríveis, como em um filme de ação; Max, Lucas e Danny enquanto Trip lidava com os computadores da usina elétrica, com uma ajudinha de Circuit, é claro; e, por fim, Wes e Cole trabalhando ao lado de Nadira e Ransik. E é nessa última equipe que algo importante acontece: quando os três Mut-Orgs se juntam para fazer alguma coisa, Ransik fica para trás para tentar impedi-los, e destrói algo.

Depois, ele anuncia a todos que destruiu a parte mutante dos monstros, o que quer dizer que agora eles podem ser derrotados… Nadira fica para trás para cuidar de Ransik, depois de uma explosão que parece estar lhe custando algo, enquanto os demais se preparam para a grande batalha, e é só aqui, felizmente, que Merrick aparece. É incrível ver os 12 Rangers se unindo para a morfagem, para a roll call, para a sequência de ação final – mas eu teria excluído o Merrick totalmente do episódio, ele só aparece para a batalha final e sem muita importância mesmo… eu preferiria ter deixado o Quantum Ranger lutando ao lado de Wes e Cole, ficaria um visual bonito com os três Rangers Vermelhos – apesar de que eles se juntam, finalmente, quando usam os seus power-ups. A batalha final de um crossover de “Power Rangers” é SEMPRE muito boa de se assistir!

Por fim, o episódio ainda traz um momento muito bacana, que é quando vemos Ransik transformado em humano, chamando os Rangers de “meus amigos”, e antes que os Rangers da Força do Tempo vão embora, a Princesa Shayla organiza um piquenique para todos… aqui, o episódio trabalha com algo bem nostálgico, porque coloca os Rangers da temporada passada de volta às roupas que eles usavam para se passar por pessoas de 2001 (Eric se veste um pouco diferente do que ele se vestia quando não usava o uniforme dos Guardiões de Prata, mas é que o vimos tão poucas vezes sem aquele uniforme que é até compreensível), e ainda brinca com algumas coisas, como o Max flertando com a Nadira, mas ela sai para passear com Lucas, o romance de Wes e Jen, felizes por estarem juntos de novo, e um pouquinho mais daquele flerte de Eric e Taylor.

Um dos melhores crossovers de “Power Rangers”. Como tudo que envolve “Time Force”.

AMO DEMAIS!

 

Para mais postagens de Power Rangers Wild Force, clique aqui.

 

Comentários